Meus Poemas 126.

meus poemas-126

SOU FOLHA SECA

Perdoa-me, sou folha seca,
Deixei de amar este mundo,
Agora aqui quase moribundo,
Meu ser triste ainda peca.

Neste deserto preciso de ti
Senhor conforta meu coração,
Meus joelhos dobro no chão,
Na Tua palavra, vitória vi.

Não desejo vida de flores,
Nem dias sempre dormindo,
Em meu ser amor infindo,
Para falar aos pecadores.

Chorei pelo que eu não fiz,
Olhando pra minha fraqueza,
Mas isso levou à tristeza,
E não me deixou mais feliz.

Meus olhos sem força estão,
Meu jardim muito desfalece,
Meu vigor também já perece,
As lágrimas rolam no chão.

Pai lembra-te de mim agora,
Pois És o meu melhor amigo,
Faz o que quiseres comigo,
Minha alma, sempre te adora.
Por: António Jesus Batalha.


navio em alto mar,

NAVIO NO MAR ALTO.

Sonhei que era um navio,
No escarpado e alto mar,
Muito perto a naufragar,
Tremendo cheio de frio.

Depois com as mãos eu abri,
E as ondas do mar rasguei,
Minha marca no fundo deixei,
Com fogo meu nome escrevi.

Senti as mãos ainda molhadas,
Vi o azul das ondas abertas,
Todas bem rasgadas e certas,
Parece que estavam acordadas.

O vento que ao longe soprava,
Trazia grande frio constante,
Estremecia o grande gigante,
Que à sua maneira gritava.

Levanta-se a onda que rasguei,
Para levar meu navio ao fundo,
O meu sono era tão profundo,
Mas depressa eu logo acordei.
Por: António Jesus Batalha.


meus poemas-126

ESTRELA ALTA.

Vi uma estrela tão alta,
Sem ter luz triste vazia,
Com luz do sol não luzia,
Pensei, então que falta?

Notei que estava sozinha,
Era uma estrela errante,
De todas estava distante,
Pelo universo só, caminha.

A altura não lhe dá a luz,
Seu interior está vazio,
Espalha em redor o frio,
Caminho que ao nada conduz.

Fica numa grande distância,
Sem ter a beleza por perto,
transformou-se em deserto,
Solo de pouca importância,

No nosso viver a escuridão,
E a vida amarga e vazia,
É coisa que ninguém queria,
Mas tenho uma boa solução.

Jesus Cristo a luz do mundo,
Quer iluminar o teu coração,
Dá Paz, alegria e Salvação,
Abraçar-te com amor profundo.

Responde a Jesus neste dia,
Para te dar esperança e luz,
Ele morreu por ti naquela cruz,
Recebe a Sua fé paz e alegria.

Ouvi-lo na sombra profunda,
Responder-lhe eu bem queria,
Para ter uma boa esperança,
Mais firme ao fim do dia.

Não seja mais um incontentado,
Dá-lhe o que Ele mais almeja,
Pois, é teu coração que deseja,
Sentirá na vida o Seu cuidado.
Por: António Jesus Batalha.